Skip to Content

Tag: comportamento

Sem respostas

Você sabe se comportar em uma reunião de negócios?

Prestar atenção na sua postura e em quem está falando são ações de extrema importância

 

As reuniões corporativas possibilitam que os colaboradores mostrem quem são e seus posicionamentos, o que pode influenciar sua carreira. Ter postura é fundamental, pois o comportamento de alguém nesse tipo de encontro social diz muito sobre a importância que a pessoa dá a ele: se vestir de acordo com a ocasião, atentar para a linguagem corporal, participar e estar preparado – saber a pauta com antecedência – são atitudes que ajudam.

Especialistas afirmam que não existem reuniões informais e que todas devem ter um grau de seriedade a ser considerado, mesmo que o ambiente seja descontraído, pois é nestas ocasiões em que são discutidas ações, direções, novidades e tendências. Além disso tudo, uma reunião pode ser o lugar certo para avaliar os colaboradores e identificar seus potenciais e possibilidades de promoção.

 

Confira algumas dicas sobre o que fazer (ou não) durante uma reunião:

 

Atrasos – Começar a reunião na hora certa mostra respeito aos colaboradores pontuais. Ao final, pode-se perguntar particularmente por que a pessoa sempre se atrasa. Dar bronca em público nunca é aconselhável e pode provocar um “clima” bastante desagradável. Lembre-se que o que deve ser repreendido é o comportamento, não a pessoa.

 

Foco - Organize seus pensamentos: inicie, desenvolva e conclua seu raciocínio e, após terminar de versar sobre um tema, passe para o próximo. Para uma reunião ser produtiva, ela precisa de planejamento, objetivo e foco. Do contrário, pode-se perder um tempo precioso sem que qualquer mudança aconteça. Deixe tópicos de outras reuniões para serem tratados nas ocasiões oportunas.

 

Conversas - É sempre bom explicar a todos as regras básicas da reunião. Uma delas pode ser estipular que apenas uma pessoa fale por vez, para facilitar o entendimento. Se duas pessoas ou mais estiverem conversando paralelamente no meio da reunião, quem estiver com a vez de falar pode começar a andar pela sala. Esta técnica faz com que as pessoas retomem a atenção para o tema principal.

 

Histórias - Evite contar histórias que tenham ou não relação com o tema da reunião. Isso pode atrapalhar o andamento dos trabalhos.

 

Evite competição – Lembre-se que não há necessidade de competir com os outros colaboradores por atenção ou para ter a melhor ideia. Participe da reunião para contribuir e espere sua vez de falar.

 

Brincadeiras e piadas - Evite quebrar a concentração dos seus colegas. Sua retirada da sala poderá ser requisitada.

 

Inclusão - Tente incluir todo mundo e evite colocar as pessoas que talvez não estejam participando ativamente em situações chatas; elas podem estar se preparando para falar ou apenas serem tímidas. Se possível, divida o grupo em parcelas menores e junte os tímidos. Quando esta pessoa contribuir de alguma maneira, reconheça.

 

Não seja pessimista - Reuniões de brainstorming, por exemplo, existem para criar ideias e não avaliá-las imediatamente. Isto fica para uma outra oportunidade. Respeite as ideias das outras pessoas e evite usar expressões que possam desencorajá-las ou constrangê-las.

 

Atenção - Esteja com sua atenção voltada para a reunião. Além de ser mais produtivo, é uma demonstração de respeito ouvir quem está falando. Se a regra é desligar o celular, respeite-a. Isso também vale para checar os emails…

Sem respostas

10 comportamentos irritantes no trabalho

2

Salvo raras exceções, todo escritório tem aquele chato. Conviver em grupo, então, deve ser uma atividade lapidada dia a dia, a fim de evitar situações constrangedoras ou que incomodem. Confira os sinais de que o comportamento está errado:

1 – Atrasos frequentes: com o trânsito das cidades brasileiras, manter uma pontualidade britânica é complicado, mas não impossível. Contudo, insistir no atraso pode ser algo bem chato, principalmente para quem espera.

2 – Indiscrição e fofocas: embora a fofoca seja um veículo de comunicação comum nos ambientes de trabalho, insistir em perguntas indiscretas ou em assuntos que gerem desconforto é um comportamento péssimo.

3 – Falar demais: por mais que a conversa às vezes seja necessária, insistir e continuar falando mesmo quando o assunto já extrapolou os limites ou tema deve ser evitado.

4 – Conquistadores de plantão: decotes ousados e atitudes provocantes no ambiente de trabalho ou em momentos inapropriados podem ser um sinal de que algo está errado. O excesso na conquista é um problema que deve ser resolvido o quanto antes, para não evitar constrangimentos futuros.

5 – Humor: ter senso de humor é um virtude que deve ser celebrada, mas tem os que pesam a mão, e acabam por tornar constrangedoras situações e falas que poderiam ser evitadas. O que faz um amigo rir até chorar pode ofender um colega de trabalho.

6 – Caixa de e-mail: cuidado é sempre bom. Sobrecarregar a caixa de entrada do outro com conteúdos que nada têm a ver com o trabalho, ou até mesmo com o destinatário, é algo muito deselegante.

7 – Olfato: sobrecarregar o ambiente com odores e perfumes fortes pode ser bem desconfortável, principalmente para quem está ao lado.

8 – Do contra: ter opinião é sempre válido, contanto que tenha argumentos para sustentá-la, contudo, há sempre os ‘do contra’, que exageram nos comentários e acabam, por vezes, ofendendo o outro gratuitamente, mesmo que sem intenção.

9 – Barulho: tem horas que o escritório parece uma feira? Isso pode ser um problema, principalmente quando o excesso de barulho não tem um motivo justificado. Tamborilar os dedos ou clicar a caneta compulsivamente também podem ser ações irritantes, cuidado.

10 – Usou, devolva: a regra é clara e simples, ao usar o que é do outro, devolva. Seja uma caneta, o mouse ou dinheiro.